Mais de 6 mil maranhenses são atendidos no primeiro semestre deste ano na Maternidade Nossa Senhora da Penha

Durante o primeiro semestre deste ano, o Governo do Maranhão registrou 6.841 atendimentos na Maternidade Nossa Senhora da Penha, no bairro do Anjo da Guarda, em São Luís. Além de 732 partos, a unidade de saúde ofereceu acompanhamento médico e procedimentos como curetagem e internação clínica obstétrica. Desde o ano passado, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), está investindo na recuperação da infraestrutura das unidades de saúde e no tratamento humanizado dos pacientes.

Maternidade Nossa Senhora da PenhaCom média atual de mais de 120 partos mensais, a Maternidade Nossa Senhora da Penha registrou aumento de 62% em relação ao ano passado. “Esse aumento é reflexo de um conjunto de esforços, que inclui reestruturação dos espaços e equipe médica qualificada. Resultados como esse refletem a preocupação do governador Flávio Dino em oferecer um atendimento de qualidade para a população, assegurando os direitos de cada cidadão”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Reformada em setembro de 2015, a Maternidade Nossa Senhora da Penha possui 30 leitos, enfermaria, salas de pré-parto e parto e atende a gestantes referenciadas das Unidades de Saúde da Família (USFs). A maternidade conta ainda com equipe de 161 profissionais capacitados para o atendimento, entre eles obstetras, enfermeiras, pediatras, anestesistas, assistentes sociais, farmacêuticos e técnicos de enfermagem e administrativos.

A enfermeira Marcya Maria de Souza explicou como funciona o atendimento na sala de pré-parto. “As mães chegam ansiosas e, muitas vezes, agitadas. Aqui a gente faz um acompanhamento completo, conversa com as famílias e tranquiliza as parturientes. Temos os instrumentos necessários para isso. É muito gratificante realizar esse trabalho”, destacou.

A maternidade beneficia cerca de 250 mil habitantes de 58 bairros da região Itaqui-Bacanga. “Achei aqui muito confortável. As enfermeiras têm todo um cuidado com a gente e dão todo o acompanhamento necessário”, afirmou Denise dos Santos, 17 anos, mãe do Ariel Lucas. “Moro aqui perto, no Sá Viana, e para mim essa é uma estrutura muito boa. Fiquei muito emocionada ao ouvir o choro do meu bebê e ver que tudo tinha dado certo”, concordou Thayse Rodrigues, 18 anos.

Para Francineide Cunha, 30 anos, a maternidade é referência em estrutura e qualidade. “Foram muito atenciosos comigo. Conheço os meus direitos e aqui eles foram respeitados. Observei também que aqui é um ambiente limpo e organizado. Isso tudo faz diferença no tratamento e ajuda na recuperação. Vim ter meu bebê aqui porque me falaram muito bem dessa maternidade”, explicou Francineide.

Deixe uma resposta