Conselho da Polícia Civil: Sá Marques volta a defender categoria

Mais uma vez, o vereador professor Sá Marques (PHS) reiterou seu posicionamento a respeito do Projeto de Lei que deverá  ser votado nesta segunda-feira (19), na Assembleia Legislativa, por iniciativa do Executivo.

O que está em pauta neste primeiro momento, é a exclusão e o alijamento das entidades representativas, a exemplo da ADEPOL, do SINPOL e da APOTEC (que representa delegados, investigadores escrivães e peritos) do Conselho da Polícia Civil. De acordo com o PL, caberá apenas à cúpula do Estado sobre as decisões em caráter administrativo-disciplinar nos processos administrativos.

O parlamentar lamentou muito, pois não esconde sua essência esquerdista e de defesa social, que caso tal projeto sejam aprovado, atingirá mortalmente pelo petardo da decepção em relação a história do PCdoB, que sempre combateu as hostilidades das sociedades sectárias e elitistas, a exemplo do golpe contra a ex presidente Dilma, além da tentativa de prisão do ex presidente a contra -senso da Constituição que reza o trânsito em julgado de tal medida de restrição hodierna.

O vereador fez um último apelo, para que o Projeto seja retirado de pauta.
“Eu enquanto professor de história há três décadas, não quero ter que ensinar a partir de hoje que o comunismo no Maranhão abraçou o regime de exceção, o caráter antidemocrático e não representativo.  Por isso,  peço ao governador que não retire os direitos, e que oficialize a valorização real salarial para a Classe. A polícia civil conta com vossa sensibilidade, pois basta uma simples ligação telefônica, para que o legislativo Estadual não vote a retirada de Direitos e aprove o que fora prometido”, finalizou.

Deixe uma resposta