Com nova gestão, lucro do Porto do Itaqui em 2015 supera o obtido nos quatro anos anteriores

“O que explica o bom desempenho do Porto Itaqui em 2015 e no primeiro quadrimestre de 2016 é a orientação firme do governador Flávio Dino para a produção de resultados. Revimos contratos, otimizamos operações, procedimentos e serviços”, com essas palavras, o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago, explicou o volume R$ 7,3 bilhões movimentados apenas no primeiro quadrimestre de 2016.

Na linha reversa da crise pela qual passa o país, o Porto do Itaqui é exemplo da soma de esforços do Governo do Estado para garantir a sanidade da economia maranhense com resultados operacionais e estratégia que foca na vantagem competitiva.

governoma

Os ganhos obtidos conferem maior capacidade de investimentos, o que vem sendo direcionado para área primária do Porto do Itaqui e terminais externos, para o aumento da produtividade, segurança e eficiência nas operações portuárias com atração de novos negócios, sempre visando o incremento da economia local, bem como a oferta de mais conforto para os passageiros que usam o ferryboat.

O resultado é que, ainda em outubro de 2015, o Porto bateu o recorde de movimentação em relação ao ano de 2014. No balanço final do ano passado, a Emap lucrou R$ 68,2 milhões, valor que, segundo a Empresa, é superior à soma dos lucros dos quatro anos anteriores, que somou R$ 55,9 milhões.

“O primeiro trabalho que fizemos para recuperar a capacidade de investimento do Porto ocorreu ainda, durante o período de transição de governo, quando realizamos análises dos contratos, para ver onde poderíamos reduzir despesas e combater o desperdício. Reduzimos, por exemplo, nosso contrato de vigilância, que era de R$ 14 milhões e passou para R$ 5 milhões, garantindo a mesma segurança. Nosso contrato de combate a pragas custava R$ 780 mil, reduzimos para R$ 34 mil por ano, pelo mesmo tipo de serviço”, explicou Ted Lago.

A eficiência focada em resultados e otimização das despesas operacionais possibilitou a geração de emprego e renda com investimentos em reformas e ampliação dos serviços e operações. “A Emap está investindo quase R$ 2 milhões na requalificação do Cais de São José de Ribamar, R$ 1,3 milhão na construção de novas passarelas para o Terminal do Cujupe, além de cerca de R$ 40 milhões em licitação para investimentos em áreas que ampliam a capacidade de operação portuária. E como aprovado no plano de investimento 2016/2017, um berço para granéis sólidos avaliado em R$ 110 milhões, usando recursos próprios”, continuou Ted Lago.

“Nós temos muito ainda a crescer e aperfeiçoar. A crise faz com que os produtores busquem soluções mais eficientes e competitivas para movimentação de mercadorias. Cargas movimentadas em outros portos buscam no Itaqui solução mais eficiente tirando proveito da nossa integração da logística ferrovia/Porto. A redução em 50% do tempo de espera dos navios fundeados contribui, ainda mais, para racionalizar custos”, concluiu o presidente da Emap.

Deixe uma resposta