Relação política entre Dilma e Temer está cada vez mais deteriorada

A deteriorada relação entre Dilma Rousseff e Michel Temer atingiu um nível mais alto ontem. Petistas e integrantes do governo defendem que não haja a formação de uma equipe de transição entre os dois governos, com o compartilhamento espontâneo de informações estratégicas do Executivo Federal, pelo fato do governo Temer ser “ilegítimo, fruto de golpe e sem o amparo democrático das urnas”.

dilmaetemer

Alguns mais ponderados refutam a tese de que os dados serão “escondidos, apagados ou destruídos”. Mas acrescentam que, se aliados de Temer quiserem acessos a projetos, planilhas e orçamentos, eles que procurem nos ministérios. Não haverá a mínima boa vontade da atual administração de explicar como está o país e o que poderá ocorrer nos próximos meses. Outros nem sequer pretendem admitir a derrota antes da votação no Senado.

“É um direito deles, evidentemente. Mas é claro que é péssimo. Não sabemos a situação do país que eles vão nos passar, quais os esqueletos, as bombas e possíveis sabotagens”, reconheceu um interlocutor do vice-presidente Michel Temer.

É mais um capítulo do transe político que paralisa o país com dois governos em funcionamento diante de uma população que convive com uma inflação de dois dígitos, desemprego na casa dos 10 milhões de pessoas e recessão que beira os 5% de encolhimento do PIB. Dona de uma caneta sem tinta, a presidente Dilma Rousseff nomeia e demite ministros, luta para sobreviver na batalha do impeachment e acelera projetos para tentar deixar alguma marca administrativa para tentar apagar o trauma do impeachment.

Correio Braziliense

Deixe uma resposta