Processada, Roseana Sarney se diz “perseguida e injustiçada”

roseana22A ex-governadora do Estado, Roseana Sarney, se manifestou sobre a denúncia feita pelo Ministério Público Estadual, acolhida e transformada em processo, onde ela é citada como ré. Ela se defende dizendo que nunca autorizou gastos no caso investigado.

De acordo com a assessoria de Roseana, ela não foi procurada por nenhum órgão investigador para dar explicações sobre os possíveis desvios de verbas públicas na área da saúde, que afetaram o programa ‘Saúde é Vida’. “A ex-governadora Roseana Sarney nunca foi ouvida sobre a questão. Trata-se de uma denúncia genérica, sem nenhum fato específico imputado contra ela, que foi incluída entre 16 pessoas como coautora apenas por ser governadora”.

A assessoria diz ainda que a ex-governadora está tranquila quanto ao caso, por entender que não cometeu nenhuma ilegalidade. “Roseana Sarney tem a consciência serena de quem sempre agiu dentro da lei e em nenhum momento autorizou despesas ou interferiu administrativamente no caso que está sendo investigado”.

A nota enviada pela assessoria afirma ainda que o caso trata-se de mais ‘uma perseguição política’ à ex-governadora. “Esta é mais uma ação movida por quem sempre atuou com métodos de perseguição política.”

“O fato da ação ter sido provocada por integrantes de partido, como o PCdoB, e por políticos que sempre fizeram oposição a mim, me dá a certeza de que se trata de mais uma perseguição. Mas isso não me intimidará. Não tenho medo e irei me defender de mais uma injustiça”, declarou Roseana Sarney.

Outros envolvidos

A reportagem de O Imparcial buscou contato de todos os outros citados. Dos servidores, nenhum deles tem mais vínculos com a Secretaria de Estado da Saúde. Buscamos outras formas de contato, como busca telefônica, mas todos os números apontados para os referidos envolvidos não completavam chamadas.

Já o ex-secretário de Estado da Saúde, Ricardo Murad, não se pronunciou. Segundo a assessoria, não foi possível conseguir declarações sobre o assunto.

As empresas envolvidas também foram procuradas. A Lastro Engenharia Incorporações e Indústria foi a primeira a ser procurada e também a responder. Segundo interlocutores da empresa, o presidente da empresa, Osvaldino Martins de Pinho, está em viagem e somente ele responderá sobre o assunto. Os sócios da Dimensão Engenharia e Construção Ltda, Antonio Barbosa Alencar e Mirella Palácio de Alencar, não estavam no escritório central. Segundo o Departamento de Marketing da empresa, existem vários escritórios da Dimensão em São Luís, mas nenhum dos sócios apareceu em qualquer escritório.

O processo

No processo aberto pelo juiz Fernando Luiz Mendes Cruz, da 7ª Vara Criminal, ele cita 16 pessoas, entre eles, políticos, empreiteiros, empresários e servidores públicos.

A tipificação do crime imputado a cada um varia de acordo com a suposta ação desempenhada. Alguns dos crimes em que podem ser enquadrados são peculato, falsidade ideológica e formação de quadrilha.

Nota da assessoria de Roseana Sarney

A ex-governadora Roseana Sarney nunca foi ouvida sobre a questão. Trata-se de uma denúncia genérica, sem nenhum fato específico imputado contra ela, que foi incluída entre 16 pessoas como co-autora apenas por ser governadora.

Roseana Sarney tem a consciência serena de quem sempre agiu dentro da lei, e em nenhum momento autorizou despesas ou interferiu administrativamente no caso que está sendo investigado.

Esta é mais uma ação movida por quem sempre atuou com métodos de perseguição política.

O Imparcial

Deixe uma resposta