Pelo segundo ano consecutivo, Governo do Maranhão é finalista do Prêmio Excelência em Competitividade

Mais uma vez, o Maranhão ganha destaque nacional, dentre as unidades federativas, ao emplacar dois projetos como finalistas do Prêmio Excelência em Competitividade, do Centro de Liderança Pública (CLP).

A Secretaria de Estado do Planejamento e Orçamento (Seplan), coordenou o trabalho prévio de tutoria e análise de todos os 46 projetos inscritos pelo Maranhão, atividade que contribuiu para o aperfeiçoamento das inscrições. Ao final, os programas Escola Digna e Gestão Penitenciária, foram reconhecidos dentre as melhores iniciativas do ano, em um total de 280 inscrições, recorde desta premiação, que ocorre desde 2015.

O Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), também garantiu posição de destaque no Prêmio e ficou entre os 15 semifinalistas.

Com esse feito, o Maranhão entra forte na disputa este ano, com vistas a manter o posto de campeão nacional que foi obtido através do Plano Mais IDH em 2020.

De acordo com a titular da Seplan, Cynthia Mota, desde o ano passado que a Secretaria tem adotado a estratégia de realizar tutoriais aos órgãos setoriais no processo de submissão de boas práticas às instituições que realizam premiações e na melhoria da posição do Maranhão em rankings nacionais que avaliam a atuação governamental dos entes subnacionais.

“Ficamos imensamente felizes com mais essa conquista de chegarmos a final desse prêmio tão importante a nível nacional. Esse reconhecimento só comprova o trabalho cercado de compromisso e seriedade do governo do Maranhão que estamos desenvolvendo desde 2015”, enfatizou a secretária.

Para o secretário-adjunto de Planejamento da Seplan, Roberto Matos, essa iniciativa faz parte da estratégia da secretaria de fortalecimento do Sistema de Monitoramento e Avaliação do Estado, que tem foco na Gestão Orientada para Resultados e na análise com base em dados e evidências.

“Os bons resultados deste trabalho tem contribuído para valorizar boas práticas de gestão, aprimorar políticas públicas, além de  melhorar a qualidade do gasto e desenvolver capacidades técnicas e integrar os servidores públicos estaduais”, pontuou Roberto Matos.

Deixe uma resposta