Fraude em Anajatuba: Prefeito paga por atendimentos médicos que não existiram

O município de Anajatuba hoje é um dos piores do País em praticamente todos os aspectos. Acontece (e falta) de um tudo na cidade: Remédios em hospitais, merenda escolar, obras que são pagas, mas que não se materializam, desvios de recursos públicos federais, fraude no censo escolar e afins. Pensa que acabou? Não mesmo. Eis que surgem mais casos gravíssimos envolvendo moradores da cidade e o Sistema Único de Saúde (SUS), serviço federal gratuito realizado em todo o País. Tudo, claro, orquestrado pelo Prefeito de Anajatuba: Helder Aragão(foto).

Um dos casos descobertos mostra uma certidão de óbito em nome de Marinete da Conceição Rosa, onde consta que a mesma faleceu no dia 25 de Fevereiro de 2013. Até aí, tudo bem. Mas acontece que um ano depois, o SUS enviou uma carta para casa da mesma Marinete, solicitando informações de como foi o atendimento, no que imediatamente causou espanto no marido da falecida, seu Elias de Jesus, que denunciou o caso aos órgãos competentes. Como pode o SUS estar pagando por procedimentos médicos para uma defunta que já se foi há mais de ano? Pois, de acordo com seu Elias, Marinete não ficou internada nem duas horas. Sofreu um AVC e foi logo a óbito.

Ainda conforme o documento, a data do óbito (25/02/2013) foi utilizada como data de nascimento, ou seja, embora o nome e o endereço sejam de uma pessoa falecida, para o SUS, o atendimento foi prestado a um bebê de apenas um ano, tendo sido pago R$ 479,19 (quatrocentos e setenta e nove e dezenove centavos).

Este é apenas um dos infinitos casos de fraude que já aconteceram em Anajatuba. Tudo bem debaixo dos olhos da justiça, que não se manifesta, faz a famosa “vista grossa”. Quando os desmandos de Helder Aragão à frente do município vão finalmente parar? O que ainda falta acontecer para a Justiça do Maranhão tomar uma atitude? Mistério…

Deixe uma resposta