Flávio Dino reafirma compromisso com o Maranhão em sabatina na TV Cultura

O governador eleito Flávio Dino participou de uma sabatina na noite desta segunda-feira (17), no programa Roda Viva, da TV Cultura, onde discorreu sobre as prioridades para 2015, processo de transição, secretariado, sistema prisional do Maranhão, dentre outros.

Bem a vontade, Flávio Dino não se fez de rogado e respondeu todas as perguntas com segurança e sensatez, como por exemplo, na resposta a pergunta do jornalista Augusto Nunes, sobre o que faria a frente do Estado para que o povo do Maranhão não sentisse saudade do Clã Sarney, no que Dino respondeu prontamente “Trabalhando desde o primeiro dia para melhorar a vida das pessoas, bem como a universalização dos direitos e serviços públicos, e claro, governar com honestidade e transparência”.

Em outro questionamento sobre seus programas de governo, Flávio disse que foi extremamente realista quando listou 65 propostas para um Estado melhor e mais desenvolvido, pois partiu de uma leitura da realidade, onde o cumprimento dessas metas depende do conjunto de iniciativas públicas e privadas junto também da dimensão transformadora.

Outro ponto citado durante a entrevista foi a cassação do ex governador Jackson Lago (já falecido), onde perguntaram a Dino se ele não tinha medo de acontecer com ele o mesmo episódio. Dino, sorrindo, respondeu: “fui juiz por 11 anos, e isso é um diferencial. Tenho confiança do modo como fizemos a campanha, no respeito que temos a legalidade, então isso tudo evita a repetição dessa tragédia”.

Temas como sistema prisional também foram abordados durante a entrevista, onde Flávio Dino garantiu que uma de suas principais metas será a de recuperar a autoridade do Estado sobre o sistema, além de recrutar empresas para que possam ajudar na organização do trabalho e atividade educacional.

Sobre os meios de comunicação no Governo Flávio Dino, o governador eleito reiterou que vai fazer com que a liberdade de expressão seja para todos, além de procurar formas para universalizar a internet, já que esta foi a ferramenta mais importante durante toda a sua campanha.


Deixe uma resposta