Deputado Wellington do Curso em defesa dos profissionais de enfermagem

Em atendimento ao Requerimento feito pelo deputado Wellington do Curso (PPS), vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Maranhão,   foi realizada a II Audiência Pública em defesa de enfermeiros, auxiliares e técnicos em Enfermagem, que debateu a jornada de trabalho de 30 horas para os profissionais da classe, além da revogação do piso salarial de R$ 1.700,00 e a escala 12×36 da categoria, instituído em acordo coletivo do Sindicato dos Enfermeiros com o SINDIHOSP e criticado pela categoria.

wel22

O evento, presidido pelo parlamentar, contou com a participação da deputada e enfermeira, Valéria Macedo (PDT); do Superintendente Regional do Trabalho, Silvio Pinheiro; do representante da Secretaria de Estado da Saúde, Sormani Tanaka; do representante do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), Antonio Freire; da diretora da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Saúde, Lucimary Santos, entre enfermeiros, técnicos e outros representantes da categoria.

Durante sua fala, Wellington reafirmou que sempre estará empenhado na defesa pelos direitos dos profissionais da categoria e defendeu, mais uma vez, a realização de concursos públicos em todas as áreas da saúde, a jornada de 30 horas e um piso salarial digno para todos os enfermeiros, técnicos e auxiliares de Enfermagem.

“Muitos tem me perguntado sobre a minha bandeira de luta, mas estou em uma única defesa: o povo do Maranhão! Independente de política, estou com o único objetivo de defender e lutar pelos direitos de vocês, que estão pedindo o básico de dignidade humana para que possam realizar seus trabalhos. Não sou enfermeiro de profissão, mas sou enfermeiro de coração e aproveito a oportunidade para reafirmar o meu compromisso em defesa da realização de concursos públicos para a categoria, além da aprovação da jornada de 30 horas e de um piso salarial digno e que valorize os profissionais da saúde “, enfatizou.

Ao final da audiência, vários encaminhamentos foram solicitados, entre eles a garantia do pagamento de indenizações de enfermeiros, auxiliares e técnicos de Enfermagem pela empresa Bem Viver, além da averiguação pelo COFEN das denúncias feitas contra o COREN-MA e as orientações dadas pelo Ministério do Trabalho sobre como revogar o acordo coletivo do Sindicato dos Enfermeiros com o SINDHOSP, que será discutido em audiência, a ser realizada no próximo dia 15 no Ministério Público do Trabalho.

Deixe uma resposta