Atenção! Com estoque baixo, bancos de leite do HU-UFMA precisam de doações

Atualmente 19 bebês com menos de 1,5kg encontram-se internados na UTI neo — Foto: Breno Esaki/Agência SaúdeNovembro é considerado o mês de conscientização sobre a prematuridade. Pensando nisso, o Hospital Universitário da UFMA inicia mais uma vez uma campanha de conscientização para aumentar o estoque no Banco de Leite Humano, que está com o nível baixo. A intenção é evitar que esses bebês tão pequenos entrem em uma dieta com fórmula infantil.

Atualmente 19 bebês com menos de 1,5kg encontram-se internados na UTI neo. O ideal para atender a demanda diária desses bebês seria de no mínimo 1600ml, mas a coleta só tem conseguido fornecer 1208 ml. Atualmente 98 mães doadoras estão cadastradas no banco de dados do BLH, mas as doações estão insuficientes para garantir o suprimento necessários para os bebês prematuros. Esse número sofre variação dependendo da época e também pelo tipo de doadora. No período de festas de fim de ano, por exemplo, esse quantitativo diminui consideravelmente.

A chefe da Unidade de Cuidados Perinatais, Marynea Vale, explica que o leite materno, conhecido como “padrão ouro de alimentação” é importante para nutrição, crescimento e desenvolvimento de todos os bebês, em especial para os recém-nascidos pré-termos.

“O ideal é o leite materno da própria mãe, seguido do leite humano dos Bancos de Leites. A fórmula só deve ser usada na ausência desses dois. As fórmulas infantis não contêm anticorpos e nem células de defesa que funcionem no ser humano, diferente do que ocorre no leite materno, que traz grande proteção. A fórmula não é capaz de trazer essa proteção tão importante aos bebês, que naturalmente nascem com dificuldade de se defender das infecções até por volta dos 2 anos de vida, principalmente os prematuros”, conta Marynea Vale.

Mãe de gêmeas, Íris Pestana, relata como foi o início da internação de suas filhas Joanna e Izabella, que nasceram prematuras e precisaram ficar na UTI neo.

“Na UTI, o leite fornecido pelo Banco de Leite foi fundamental para que elas pudessem ganhar peso e se desenvolver de forma saudável e por isso sou muito agradecida, pois hoje elas já estão na Unidade de Cuidados Intermediários e eu mesma posso amamentá-las. É algo muito especial para nós três. É o nosso momento. Por isso, aproveito para chamar a atenção de outras mães que tem leite tanto para o seu bebê quanto para outros, que façam um esforço para doar, porque ele é fundamental, somos prova disso”, relata Íris.

G1 Maranhão

Deixe uma resposta